Drama: Por trás dos bastidores nas Classificatórias da XMA

 Novidades
  • ACOMPANHE AS NOVIDADES TAMBÉM PELAS NOSSAS REDES SOCIAIS!

As classificatórias para o torneio presencial da XMA Mega Arena estão a todo vapor. O cenário brasileiro encontra-se em euforia, e não há como ser diferente: afinal, o evento presencial será facilmente um dos mais importantes campeonatos de Dota 2 para as equipes nacionais mostrarem o seu valor.

Umas pitadas de drama sempre estão presentes em todo grande acontecimento. A XMA não poderia escapar disso, e no último sábado, dia 4 de abril, o público presenciou dois incidentes um tanto quanto infelizes.

O primeiro caso aconteceu na partida entre as equipes LEKS e INTZ. O argentino Gabriel “Dulce” Luna, mais conhecido por ser jogador da equipe Isurus Gaming, estava completando a equipe LEKS. Durante a partida, começaram fortes provocações por parte do jogador estrangeiro, que se estenderam até aproximadamente 23 minutos no jogo.

Os insultos visavam principalmente o mid da INTZ, Kaue “cys” Gabriel, que acabou respondendo algumas das ofensas, mas de forma não tão tóxica. Apesar da INTZ perder o primeiro jogo, que faria parte de uma melhor-de-três, a organização da XMA ao perceber o ocorrido cancelou o segundo jogo. Assim, duas vitórias foram dadas  para a INTZ e a equipe LEKS foi mandada diretamente para a chave inferior.

Basicamente, Dulce disse, após uma jogada, “go play pubs“, e o jogador da INTZ cys, retrucou: “? Vocês vão perder isso ainda, porque são horríveis“. O argentino continuou, respondendo: “No problem, fucking noob” e o jogador Kauê mandou o desafio de x1 depois da partida.

Após pegar cys desprevenido, Dulce pronunciou-se mais uma vez, dizendo “Fucking noob“. Foi quando Eduardo “dudu” Petrone perdeu a paciência e respondeu que caso o argentino falasse algo a mais, o time LEKS levaria a derrota.

O jogador Dulce assumiu o erro, digitou “Sorry” e nada mais foi dito no jogo inteiro. Após uma teamfight aos 25 minutos de jogo, o time da INTZ declarou derrota. Porém, as equipes ao entrarem no lobby para o segundo jogo, foram avisadas que a próxima partida não ocorreria, pois na tabela das classificatórias da XMA o time LEKS já havia sido transferido para a chave inferior.

A organização do torneio chegou a considerar a expulsão da equipe LEKS, entretanto acharam melhor seguir dessa forma e também aplicar duas advertências à INTZ pela agressão mútua. O Last Hit conversou com os envolvidos e Luís Guilherme “Chicão” Costa, Coordenador de eSports na XMA, nos explicou um pouco da situação.

“Se há duas pessoas brigando na rua, o policial leva os dois para delegacia. O fato da LEKS ter começado e ter sido mais agressiva, levou a organização a decidir levá-los pra chave inferior direto. A INTZ levou a punição por ter respondido, apesar de entendermos de no calor da partida isso acontecer”, diz Chicão, e acrescenta: “Apesar do público achar que a XMA foi tendenciosa pra INTZ, a equipe está avisada que qualquer conversa no chat para todos ou uma advertência, eles caem de chave. Eles não serão desclassificados nesse caso, para haver uma igualdade entre as duas equipes. Porém, se isso ocorrer e mesmo assim a INTZ receber mais uma advertência, ela será desclassificada”.

As regras do campeonato são claras e foram enviadas a todos os participantes via email. A desobediência em relação à má conduta está prevista no seguinte artigo:

Art 10º – O grau da punição será medido pelo nível da agressão e dano causado, podendo ser aplicado desde uma advertência verbal à uma desclassificação da equipe.”

Falando com Aluizio “Iwmy” Diniz, jogador que exerce a função de suporte pela equipe LEKS, conseguimos sua versão sobre o ocorrido. Ele disse: “Nós não temos uma comunicação boa com o jogador Dulce, visto que ele é um completer, e não fala a mesma língua que nós. Não sabíamos que havia rixa entre os jogadores, e não achamos que foi justo a decisão de sermos penalizados com a derrota na rodada BO3, indo direto para a chave dos perdedores, visto que o jogador adversário retrucou, e nosso jogador após ser informado sobre os xingamentos parou e pediu desculpas, coisa que o jogador cys não fez”.

Do outro lado, dudu, o offlaner da INTZ, comentou brevemente sobre o caso: “Acabamos perdendo um jogo, mas regras são feitas para serem cumpridas. O nosso jogador (cys) foi xingado pelo menos quatro vezes, e recorremos à devida punição, onde é PROIBIDO o uso de má conduta principalmente com as palavras usadas contra o Kaue (fucking noob, back to pub, u suck). Ele também respondeu de uma forma indevida ao jogador Dulce da argentina, mas como no post da XMA está explicando e explicando muito bem, o Kaue levou ADVERTÊNCIA porque ele falou uma vez e parou. Já o jogador Dulce (que é da Isurus por sinal) continuou xingando o Kaue sem parar, o que resultou na desclassificação da upper bracket da equipe LEKS”.

O jogador não quis entrar mais em detalhes, mas falou que sua equipe está interessada em deixar esse episódio para trás, e finalizou: “Antes de entrar para jogar, você precisa preparar seu psicológico pra não acontecer esse tipo de coisa”. Ele também pede desculpas em nome da INTZ pelo ocorrido.

Durante todo o alvoroço desse caso, outro problema viria para a organização da XMA: por meio de denúncias, existiam boatos de que o jogador William “hFn” Medeiros, da paiN Gaming, estaria jogando para completar o time Rebeldes na partida contra o A.B.C. Nas regras, essa questão também está bem estabelecida no seguinte paragráfo único:

“Não é permitido o uso de substitutos que já estejam participando do mesmo torneio por outra equipe, a prova não se fará necessária caso um admin da competição esteja presente no momento, todavia é sempre aconselhável guardar evidências”

Não há exatamente uma punição certa, pois os administradores resolvem tais pendências e então decidem como agir. No caso de sábado, quando a denúncia foi feita, não haviam provas de que William estaria realmente jogando pelo Rebeldes. Assim, a equipe responsável da XMA foi atrás de evidências.

Falando com o manager da paiN, Antonio “Grevert” Henrique Scintini, e com outros jogadores da equipe, ninguém sabia o paradeiro do jogador hFn, muito menos conseguiam contato com o mesmo. Assim, numa busca entre os canais de TeamSpeak (programa utilizado entre as equipes para comunicação), foi achado um usuário desconhecido junto à equipe Rebeldes. Ao mesmo tempo, também localizaram outro usuário, mutado, em outro TeamSpeak com o nick como hFn. Os dois usuários possuíam o mesmo IP.

IP da conta original de HFN

IP da conta logada no TS da Rebeldes

Isso foi suficiente para os organizadores. Assim que a partida entre as equipes havia terminado, a punição foi feita. A situação atual do jogador hFn é a seguinte:

“Proibido de participar de todas as competições associadas até o término de 2016, incluindo torneios online ou presenciais, equipes que utilizarem deste jogador serão automaticamente desclassificadas. Os torneios associados em questão são: SDL, Silver Dota League, XMA SP, XMA RJ (ou qualquer outra XMA), Megalodon Cup, Rush United, Brewmaster League e Boradota”.

– XMA Mega Arena

Como se isso já não fosse suficiente, é bom lembrar que, assim como foi dito pela NoMadTV, William já está banido de qualquer competição relacionada à equipe NoMad por ter causado problemas na Rocketz League. O histórico do jogador é bem problemático, pois a falta de profissionalismo do moço e de sua antiga equipe, Jungle’s King, já havia sido percebida na Zotac Starleague e BoraDota.

Graças a esse fator, a organização da XMA resolveu por fim não tomar nenhuma decisão em cima da equipe paiN Gaming, visto que o time não sabia das ações do jogador. Inclusive a própria paiN já retirou hFn de sua escalação, para poder jogar sem problemas o campeonato presencial no evento.

O Last Hit foi atrás também de William, para ouvir o lado do jogador: “O verdadeiro motivo de eu completar essa qualificatória foi porque meu amigo Fábio (Fábio “gambling” Sarellas) me chamou pra ajudar o c4t (Emilano “c4t” Ito), pois segundo ele se o c4t não viajasse pra XMA, teria que parar de jogar Dota por problemas pessoais. Então pensando na amizade e em ajudar, acabei jogando. Sei que foi errado, mas não agi de má fé pra prejudicar ou eliminar algum time, só joguei pensando em ajudar meus amigos“.

E finalmente completou, dizendo sobre sua situação: “Eu não queria jogar, estava com muito medo de acontecer justamente o que aconteceu, mas eles falaram para mim que não tinha mais ninguém para completar porque geral está jogando esse torneio já. Então eu resolvi jogar, pois a internet do lil_kin (suporte do time Rebeldes) estava muito ruim e ele não tinha condição de jogar. Peço desculpas para quem me acompanha. Sei que são poucos, mas sei que existem alguns ainda. Obrigado”.

Conversando com o suporte pela equipe Rebeldes, c4t, ele confirmou o problema que o jogador lil_kin teve com a internet. Apesar de procurar por diversas pessoas para completar o time, ninguém estava livre. Assim, convenceram hFn a ajudar a equipe, mesmo sabendo que seria errado.


“Estávamos cientes da regra sim, por isso ele (hFn) entrou na conta fake, ele não estava querendo jogar, estava com muito medo de ser prejudicado. A amizade entre a gente é grande, então isso falou mais alto. Ele preferiu jogar para dar essa força mesmo com tudo isso que perdeu hoje. Se arriscou para nos ajudar. Erramos, o certo seria dar o W.O. e continuar na lower. O hFn tambem errou, mas tem que haver mais compreensão com ele. Sei que muita gente tem rancor dele mas ele era muito novo, ele ainda é, mas está crescendo e a cabeça dele está mudando.

Acho que foi muito severa esse punição em cima dele. Vão acabar com a carreira dele pelo tempo de ban, eu peço por favor que revejam isso, diminuam esse tempo. Ele é o jogador mais promissor do Brasil na minha opnião. Eu e o Fabio estamos muito deprimidos, a verdade que o fato de ficar de fora não atingiu muito a gente, e sim a pena aplicada ao hFn. Essas organizações sempre promovem como objetivo ajudar a evolução no cenário, então eu acho que podiam reduzir essa pena em cima de um jogador que é novo e tão promissor.

Ele vai aprender com isso, a gente também. Eu garanto isso. Mas uma mensagem para quem tem rancor da antiga keyD/SAR basicamente do (Kaue, hfn e Fábio), é para tentar esquecer tudo isso, eu conheço os 3 e uma coisa eu posso afirmar: eles eram muito revoltados, por que se dedicavam muito e nunca ganhavam nada em troca. Isso é resultado de um cenário enfraquecido, claro que nada justifica mas é uma explicação.”

Emilano “c4t” Ito


Sobre a forma como tais decisões foram feitas, primeiramente é necessário entender que as qualificatórias da XMA foram sim, abertas a todos, como uma grande exposição para os times. Contudo, isso não significa de forma alguma que o torneio tenha qualquer ar amador. O nível competitivo mantém-se alto, com uma grande organização disposta a dar oportunidade a equipes que merecem e nem sempre conseguem uma chance de se mostrar.

Os organizadores responsáveis ainda comentam: “Temos uma organização muito criteriosa e exigente, não aceitamos ofensas tanto em jogo quanto presencialmente. Existem regras e punições rígidas para isso. Não há pendencia pra nenhum lado, se houver erro ou infração, não importa de quem seja, a equipe será punida como qualquer outra”, diz Luís Guilherme Costa.

Bruno Shigueo, Organizador das Classificatórias de Dota 2 na XMA, completa: “Não ligamos para marcas ou escudos, se nós queremos melhorar, precisamos fazer por onde. Vamos trabalhar de maneira coerente sem defender ninguém e que isso sirva de lição para as outras organizações para realizar um bom trabalho”.

Em relação ao que será feito em relação à paiN Gaming, a administração da equipe nos deu a seguinte declaração por email:

“Em primeiro lugar, a paiN acredita muito no cenário Brasileiro, em sua seriedade, no seu potencial, e que pode sim se tornar uma referência mundial. Levamos isso muito a sério e acreditamos que regras devem ser seguidas, e que quando elas são burladas, certas ações devem ser tomadas.

Neste caso, a administração da XMA veio atrás de nosso manager, Grevert, para notificar a quebra de uma regra do campeonato e qual seria a punição aplicada.

A punição em relação ao HFN, já havia sido dada, impediria que ele participasse de qualquer campeonato futuro. Acreditamos que uma ação isolado de um jogador não deve refletir ao time, visto que não tinhamos conhecimento de seus atos.
A decisão de substituição do HFN foi necessária visto o planejamento da paiN para o ano de 2015. Agradecemos o tempo que o HFN teve na paiN e desejamos o melhor para ele no futuro.

Em relação a substituto, anunciamos hoje que vamos trazer de volta para o time o jogador, Sune. Veterano do cenário que já conhece alguns de nossos jogadores, acreditamos que existe um lugar para o Sune no time e estamos muito empolgados de poder trabalhar com ele novamente.”

– Administração da paiN Gaming


Essas situações dão um recado básico para o público: não há mais espaço no cenário brasileiro para a falta de profissionalismo. A cena de Dota 2 cresce aos poucos no país, e é necessário ter mão firme para evitar problemas futuramente. Tomar medidas paliativas para isso é abrir espaço para um cenário fraco sem uma boa estrutura.

De agora em diante, o cenário competitivo brasileiro é coisa séria – mais do que nunca.

Pular para a barra de ferramentas