Os conflitos entre Evil Geniuses e paiN Gaming

 Novidades
  • ACOMPANHE AS NOVIDADES TAMBÉM PELAS NOSSAS REDES SOCIAIS!

Ontem, dia 6, aconteceu uma partida que muitos jogadores brasileiros estavam esperando. Os compatriotas da paiN Gaming jogariam contra a Evil Geniuses pela joinDOTA MLG Pro League.

O jogo ocorreu sem muitas surpresas com o time brasileiro apostando em picks estranhos e não conseguiu executar muito bem algumas das jogadas. A primeira partida foi totalmente a favor da EG, enquanto a segunda foi um pouco mais balanceada, só não o suficiente para o time da paiN.

A narração ficou por conta da NoMadTV com Viktor “AkaFoka” Deak e Bruno “Mortaa” Santos. Durante a pausa entre as partidas, eles comentaram ao vivo que a EG demonstrou um comportamento muito rude. Reclamaram do ping, soltaram alguns xingamentos direcionados ao Brasil e “forçaram” a administração do evento para que o jogo fosse jogado nos servidores americanos.

Naquele momento o ninguém sabia direito o que estava acontecendo. A informação dada veio pelos narradores e já foi o bastante para que alguns torcedores já esbanjassem ódio.

Com a partida terminada, começamos a descobrir o que realmente aconteceu. Segundo relatos, a EG não teria cumprindo com as regras do torneio:

ss+(2015-03-06+at+02.37.52)

“A localização padrão do servidor é Luxemburgo para jDL Europa, US East para jDL América, e Singapura para jDL Ásia. Outros servidores são usados caso ambos times concordem ou se a administração decidir (o último pode ser feito especialmente na primeira divisão para ser mais justo).”

Isso só veio à tona devido ao acordo que ambos times fizeram antes da partida, a EG jogaria nos servidores brasileiros enquanto a paiN Gaming jogaria nos servidores norte americanos. É a medida mais justa, um lado vai ficar com um pouco mais de latência. Os prints divulgados dos pings confirmam isso.

Infelizmente não foi isso que aconteceu. O dono e capitão da paiN, Arthur “PAADA” Zarzur disse que conversou com dois membros da organização do evento, Mohammed “Trickster” ZohlofDennis “HolyMaster” Schumacher. Segundo ele, ambos disseram por Skype que seria um jogo no servidor americano e outro no brasileiro. É difícil levar essas conversas por chat como verdades absolutas, mas a questão é que existia um combinado e ele não foi cumprido.

Fotos do chat do lobby da partida mostram o gerente da EG, Charlie Yang, falando que o seu time não jogaria no servidor brasileiro. Não só isso mas Peter “ppd” Dager trouxe a sua assinatura e começou a trocar farpas com outros jogadores. Clinton “Fear” Loomis entrou na ‘brincadeira’ fazendo comentários infelizes sobre o Brasil.

No final, a administração do joinDOTA cedeu a pressão do time norte americano, obrigando a paiN Gaming jogar novamente no servidor americano.

Até o presente momento, a organização do torneio não se pronunciou sobre o caso.

Nota do editor:

bbk_paineg_lasthit

Queria tirar um momento para refletir e tecer rápidos comentários sobre todo esse causo. Foi um infortúnio, a equipe da EG agiu totalmente de má fé e abusou do seu status como grande time para ir contra uma regulamentação estabelecida.

O pessoal do joinDOTA abaixou a cabeça e apenas cumpriu aquilo que foi pedido. Eles não tiveram culhões o suficiente para lidar com um time importante do cenário norte americano.

Acho que medidas precisam ser tomadas, nem que isso resulte em uma outra partida entre os dois times. Esse tipo de situação não pode simplesmente acontecer sem que ninguém faça algo. Seja uma punição para o jogador, para a organização, seja qualquer coisa, algo tem que acontecer.

A atitude da EG foi triste mas isso não justifica a grande onda de ódio que os cerca. Existe um grande problema dentro do cenário competitivo mundial, as pessoas são apaixonadas demais e levam tudo para o emocional, se cegando, virando seres irracionais tomados pelo momento. Os xingamentos direcionados a ppd, Fear e a organização como um todo, só aumentam ainda mais a má fama que o Brasil tem lá fora. Não vai melhorar a situação nem um pouco.

Isso é o de menos. O que me entristece é ver o total desdém que o público tem com o cenário brasileiro de Dota 2. Além de não levantar um dedo para apoiar as personalidades e os jogadores do cenário, só fazem reclamar sem oferecer nenhuma solução para melhorar a situação.

Posso dizer que percebo um discurso nebuloso, contraditório e as vezes hipócrita. Fala que apoia o cenário brasileiro mas na verdade só faz reclamar.

Já foi falado aqui no site sobre o potencial enorme que o Brasil tem em relação ao Dota 2, não vou ficar martelando nas mesmas ideias. Só digo que o tempo de ficar reclamando já passou, se o público quer ver o cenário crescer ele precisa se unir e tomar uma atitude. Precisa demonstrar para os times e os jogadores que existe um apoio, só ele não vai resolver tudo mas é um ótimo começo.

O mais importante de tudo é o tempo de ficar colocando toda a culpa na Valve também acabou, faz tempo aliás. Ela nunca deu o apoio que alguns acham que é o necessário. O cenário mundial de Dota 2 foi estabelecido pela comunidade, ela só faz acompanhar, administrar e dar ferramentas para o crescimento. Isso só acontece quando ela tem a certeza que pode contar com o desempenho de quem está ajudando. O problema é que todo mundo fica chorando e lamentando que não existe uma Riot Games, para ficar dando um suporte maior e nada sai do papel.

A NoMad TV foi convidada pela para narrar o The International 4. Os caras trabalharam muito, a Valve viu que eles tinham potencial e deu a ajuda necessária. Aconteceu a mesma coisa com o pessoal da Beyond The Summit, joinDOTA e etc. Eles criam um bom conteúdo, ajudam a comunidade e o mais importante: não ficam esperando um milagre acontecer para botar a mão na massa.

Eu entendo que é estranho uma empresa não dar um suporte maior para um jogo como o Dota 2. A situação está melhorando, ela está aprendendo a lidar com a demanda a cada tempo que passa.

Estamos vivendo um ótimo período para gostar de Dota 2, não podemos ficar aqui lamentando e chorando por que o cenário brasileiro não tem força. Claro que tem, mostre para os grandes times o seu apoio, acompanhe as partidas, participe dos campeonatos, se possível.

Precisamos levar o cenário competitivo a sério se queremos que ele cresça. Pegue o sudeste asiático como um ótimo exemplo. Até alguns anos atrás ele não era nada e hoje tem grande times, além de um grande torneio que abrange toda a região. Tudo feito pela comunidade.

Que esse incidente com a Evil Geniuses mostre que precisamos nos unir. Nós temos um grande potencial e já está na hora de aproveitá-lo.

Aconteça o que acontecer, uma boa sorte para todos e um bom jogo.

Pular para a barra de ferramentas